sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Palavras de um futuro bom

Milhares de pessoas inocentes em risco. A vida já não é apenas efêmera, tornou-se banal. Caminhamos para a resolução de um problema de décadas ou para a Cova 11405 do São João Batista¹? As pessoas culpam o sistema, mas se esquecem que elas fazem parte do mesmo. E ele pode mudar quantas vezes quiser - podemos viver na Era do Capitalismo, implantar o Socialismo ou correr desnudos comemorando o Anarquismo -, mas o homem sempre será capaz de torná-lo falho. "Antes de mudar o mundo, a gente tem que mudar a gente mesmo", já dizia Renato Russo.
Tenho medo da escuridão à que tudo isso pode nos levar. O sol sofrer uma fissão nuclear, implodir e tudo ficar negro feito céu sem estrela para trazer esperança. Também temo não dar tempo de falar o que eu dormi sem dizer, pois preferi deixar para o dia seguinte e de protestar por aquilo que não acho certo e que está no lugar indevido.
Tenho medo de não falar de amor para quem eu amo ou presentear quem merece. Não debater sobre a paz, a fome e a coloração do meu cabelo. Temo não dar tempo de plantar uma árvore, terminar aquele livro e ter pelo menos um de meus onze filhos. Com toda essa despreocupação com a vida e com a segurança, tenho medo que eu ou um de meus amigos sejamos vítimas de bala perdida - assim como temo por aqueles que já se foram.
E em meio a tanto terror, temo que não dê tempo de depejar palavras de um bom. Palavras as quais creio que possam mudar vidas. Vidas que se vão sem nem ao mesmo eu ter tido a oportunidade de tomá-las para mim e gurdá-las na caixinha do escritório. Meu maior medo é seja tempo perdido...
¹ São João Batista - Cemitério carioca

15 comentários:

gabriela marques. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gabriela marques. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gabriela marques. disse...

Vi o noticiário ontem, confesso que senti medo também. O Rio, ao meu ver, representa não só o Brasil em si, mas todo o MUNDO (escrevi esta palavra errada duas vezes, não acredito). É um local onde o bem e o mal se cruzam a todo mundo, e no fim, quem sofre somos nós.
O tráfico jamais será abolido com tanta matança, alguém deve gritar isso aos políticos. Eles deviam eram se preocupar com a educação, com um sistema que acolhessem os jovens já envolvidos; pois o tráfico só reina porque há quem o consome.
O Brasil não tem estrutura pra uma extinção tão brusca... Tenho medo.

Boa sorte no Blorkutando, te vi por lá.
Gostei bastante de seu texto.
Vou te fazer uma visitinha aqui.
Ótimo fim de semana a você.

gabriela marques. disse...

Ali aonde escrevi mundo, pela segunda vez, é 'momento', tá? Arg, desisto de corrigir meus comentários! uhauhaauhau
Beijoo

Cintia Tavares disse...

Viver hoje em dia custa caro demais. E eu tenho medo de que as pessoas paguem o preço pelas minhas omissões ou pelos meus berros. As vezes eu acho que devo falar tantas coisas, todas as coisas que você citou aí em cima, mais tenho medo de que nada mais importe, que o que eu diga se perca de qualquer jeito no final das contas. Mais também deixar que todas essas memórias e sentimentos se percam no tempo seria egoísmo demais?
Enfim, como eu disse, viver custa caro demais. Pra quem escuta, pra quem fala e pra quem lê.

Bell Souza disse...

Ah Lu, nós temos que ter esperança! Crer que em algum momento isso vai amenizar pq eu não acredito que vai acabar] e agir! temos que agir! parar de achar normal tudo isso!

Duca disse...

Esperança nunca muda de cor, está sempre verde para nunca morrer.

Abraços.

Daniela Filipini disse...

Sempre tememos que estejamos perdendo o nosso tempo, mas jamais saberemos se não tentarmos. E tentar significa perder tempo, ou não.

fatoSempalavras disse...

é..o clima anda tenso aqui no RJ...enquanto muitos fazem brincadeiras achando que está bombando e td mais,temo por aquelas famílias que lá habitam..famílias humilde, do bem,de bom coração...mas, saber que exite pessoas como vc,ainda alimenta a esperança de que td pode - e vai - ficar bem!

Paz. Que Oxalá olhe por todos nós.

Te adoro.

bjs.

Daniela Filipini disse...

Esse post está realmente incrível, fato.

Ariana disse...

É lamentável essa situação do Rio, e penso também que estão perdendo tempo, mas se não fizerem nada é pior. O jeito é torcer para que tudo fique bem o mais rapido possivel!

Beijos

Paloma disse...

Eu prefiro manter a esperança. Prefiro acreditar que as coisas vão ficar melhores do que eram antes. A gente já tinha passado do ponto crítico há muito tempo, e alguma coisa tinha que ser feita, uma tentativa. Eu sei que é uma coisa muito violenta, mas eu prefiro acreditar que foi para melhor. Quando você tem uma ferida no braço e não trata o que é melhor: sentir todos os dias uma dor que você já está acostumada; ou tentar uma medida drástica, que vai causar uma dor maior por um momento e pode causar prejuízo, mas tem alguma chance de melhorar a situação?
Eu prefiro arriscar.
É lamentável, mas é a nossa realidade...
Bjos.

Any disse...

heey, tem um desafio pra ti no meu blog :D

Albertt disse...

O medo me faz tomar atitudes do tipo essas suas!
Dizer o qto amo, o qto gosto de um amigo, de dar um abraço, viver a vida, curtir alguns momentos e assim por diante...
E o bom é que Deus nos dar essa oprtunidade todos os dias e muitas pessoas nao agradece!
Semre agradeço por mais um dia! sempre!

Stéffani Priscila Rocco disse...

É triste ver essa história e não poder fazer nada eu pelo menos que moro em outro estado me sinto de mãos atadas. Mas faço a minha parte rezando para que tudo isso melhore.


Adorei todas as verdades dita em um texto só!
Beijo!

Postar um comentário

 
By Biatm ░ Créditos: We ♥ it