sexta-feira, 30 de julho de 2010

Sobre pipas, infância e crescer

O meu maior erro foi sentar no sofá da sala e perceber que meus pés já alcançavam o chão.
Certo dia, abri o armário e vi todas aquelas bonecas jogadas no canto, esquecidas, porque os meninos começaram a soar mais interessantes do que uma loira plastificada. E reparei que a árvore no quintal parecia não suportar mais o meu peso, nem meu tamanho.
Corria dos meus amigos quando brincávamos de pique e hoje, corro do tempo que quer se aproximar e me dizer que existem milhares de responsabilidades e um mundo de gente grande esperando que eu cresça.
O meu maior erro foi não ter tirado, pelo menos de seis em seis meses, meus ursinhos de pelúcia do armário, e ter dito o quanto foi bom ter crescido com eles; e que mesmo grande, mesmo dando-os para outras crianças, eles vão ser para sempre meus ursinhos de pelúcia.
O sol está se pondo, a pipa ainda está empinada no céu, voando livre, guiada pelas mãos de uma criança qualquer, e eu consigo lembrar de que há alguns anos era eu quem a controlava. Meu maior erro foi ter deixado a pipa cair.
Então me ensinaram que teríamos que crescer e que o tempo voava e não notávamos; eu pensava que isso era coisa de gente velha saudosista. Me peguei hoje, andando pela cozinha, e pensando o mesmo. E meu maior erro foi não ter fotografado cada momento da minha vida.
As fotos que ainda estão no armário me mostraram o quanto eu cresci, mas me alertaram que não mudei tanto assim, pois sei que quando vejo meu primo derrubando garrafas com uma pedrinha, volto a ser criança, fazendo disso o jogo mais divertido do mundo. E ainda que meu maior erro tenha sido crescer, sei que posso manter um pé na infância para o resto da vida.

Feliz 17 aninhos para mim!

23 comentários:

Vanessa disse...

Ai, eu me identifiquei e me emocionei bastante com seu texto! O tempo passa tão rápido...é até cruel.

Julia disse...

que lindo *-*, Luh.
Parabéns pelo texto e pelos 17 aninhos, muitas felicidades e muitos anos de vida, que todos os seus sonhos se realizem e você nunca deixe de ser criança.
Sabe que sempre terá a nós, seus primos mais novos para te lembrar como é doce o tempo da infância.
As vezes eu também me culpo de ir crecendo e perdendo a inocência , porque quando crecemos, parece que complicamos o mundo ou ele nos complica.
“A infância não vai do nascimento até certa idade, e a certa altura a criança está crescida, deixando de lado as coisas de criança. A infância é o reino onde ninguém morre”.
(Edna St. Vincent Millay)

Daniela Filipini disse...

Feliz 17 aninhos pra você. Lindo post!

Milla disse...

Adorei o seu texto, me senti exatamente no seu lugar. Se nós pudéssemos saber de tudo isso antes, seria muito melhor...Parabéns pelos 17 anos :)

beijos

Ғelipe Eller disse...

Muito bom seu texto. De cara, pensei que voce tivesse sido vítima da nostalgia do Toy Story 3. Aproveite seu ultimo ano de menoridade, hehehe. Felicidades :D

Gêsa disse...

Oi, muito bom seu texto.
É um erro mesmo não perceber a rapidez com que o tempo passa. Me lembrou uma música que amo, "Não vou me adaptar" do Nando Reis, conhece?

Beijos, até mais. (:

dianaBruna disse...

Parabens, lu, pelo aniversario!
Mas nao pense que crescer é um erro; crescer é viver, e ver que vamos acertando os caminhos.

Beijo!!

Luaana disse...

Aaaaah crescer é sempre necessário, as vezes até doloroso, por nos tirar coisas das quais não queríamos nos soltar, mas é impossível mudar isso não é? Crescer, sem abandonar todas brincadeiras e a magia de voltar a ser criança, mesmo que apenas por momentos.
Parabens Luiza! Voce tem talento e vai longe! *-*
beijos

Ana Lu disse...

Nossa Luiza, foi o texto mais lindo que eu já vi aqui no seu blog!
Perfeito, mesmo!
E eu também, por mais que tenha cometido o erro de crescer, mantenho o acerto de deixar sempre um pézinho na infância.
Feliz aniversário querida!
Beijos

Jota disse...

Realmente, merecida a colocação!!!
Beeeijos, parabéns!

Luciana Brito disse...

Teu texto me deu uma tristezinha, mas foi lindo. Acho que crescer é algo que perturba um pouco a gente... um passo a menos até chegarmos à velhice... isso assusta.

Talvez o maior erro não seja crescer, mas se tornar um adulto chato, como se não tivesse sido criança nunca.

Beijo!^^

Aline disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aline disse...

Feliz 17 ! Que todos os acontecimentos nesse novo ciclo sejam possibilidades de evoluir e ser feliz. Primeira visita ao seu blog ^^ Gostei muito do seu texto, trouxe para mim pitadas de saudade. Sonhe muito ^^

Bia disse...

Cara , que lindo mereceu ganhar o BK *-*
Parabéns pelo 1º lugar e parabéns pelo seu aniversário parece que foi ontem que te conheci prestes a fazer 15 anos , e agora estamos aqui mais amadurecidas e pensando no que fazer da vida , tantas preocupações que no fim das contas nos remetem à nostalgia .
Não importa quanto tempo passe , no fundo serei sempre sua bia cara de pia e você a minha luluzete chiclete .
Te amo muuito :*

Ariana disse...

Que texto maravilhoso!
Parabéns pelos 17 anoss, tudo de bom pra ti!
E nunca deixe a criança que existe em ti morrer!

Amei seu blog!

bjos

Flávia disse...

Parabéns duplo agora, hihi:B. Primeiro lugar no Blorkutando, completamente merecido. Beijos ;*
Julia

FatoSempalavras. disse...

A gente cresce, perdemos certos costumes, verdade. Mas, sempre ganhamos mais vida a cada dia. Logo eu dizendo isso, um cara quase idoso - mental.

Mas, linda Luiza, quero que a sua vida seja sempre tão doce quanto o que o Caio F. Abreu escrevia, tão linda quanto a canção que o Tom criou com o seu nome, sem ao menos seuqer, lhe pedir autorização. (rs)

Adoro vc!

Felicidades e sucesso, sempre!

jefhcardoso disse...

O mundo exige que cresçamos. Guardemos bem guardadas nossas porções de infância.
Que linda a revelação do texto. Foi a maneira mais inteligente e delicada que já vi alguém usar para anunciar: Hoje é meu aniversário!!!

Parabéns para você, Luiza. Feliz 17 anos de vida!

Abraço do Jefhcardoso que vai de blog em blog deixando um abraço e convidando para que conheçam o http://jefhcardoso.blogspot.com

Brunno Lopez disse...

Por algum acaso tétrico do destino eu perdi o endereço do seu blog.

Havia me esquecido que além das vacas azuis voadoras, existiam sempre textos cativantes que me fizeram chegar aqui da primeira vez.

Meus parabéns podem ser exageradamente atrasados, mas são calorosamente honesto e com sabor de visitas futuras e constantes.

Paloma disse...

Parabéns pelos 17 anos!
Cheguei aqui pela primeira vez e esse texto me conquistou. Acho que todos sabemos como é isso, né? Dá saudades de ser criança, mas pelo menos a gente pode esquecer um pouco o calendário de vez em quando e voltar para lá.
Feliz aniversário atrasado.

sunshine disse...

Estou com a Paloma.
Não tenho mais 17, muito menos 10 anos, mas sempre me permito voltar no tempo ou quem sabe para-lo e sentir qual é seu sabor.
Normalmente o gosto tende a mudar, mesmo que já tenhamos passado por aquilo milhares de vezes.

Paz, e parabéns.

Duca disse...

Crescei, mas continuai com a sua alma criança.

Felicidades, menina!

Mandy disse...

Passando só pra avisar que tem selinho pra ti no meu blog :)

Postar um comentário

 
By Biatm ░ Créditos: We ♥ it